{Resenha} Lugares Escuros - Gillian Flynn




Sinopse:

Libby Day tinha apenas sete anos quando testemunhou o brutal assassinato da mãe e das duas irmãs na fazenda da família. O acusado do crime foi seu irmão mais velho, que acabou condenado à prisão perpétua.
Desde aquele dia, Libby passou a viver sem rumo. Uma vida paralisada no tempo, sem amigos, família ou trabalho. Mas, vinte e quatro anos depois, quando é procurada por um grupo de pessoas convencidas da inocência de seu irmão, Libby começa a se fazer as perguntas que até então nunca ousara formular. Será que a voz que ouviu naquela noite era mesmo a do irmão? Ben era considerado um desajustado na pequena cidade em que viviam, mas ele seria mesmo capaz de matar? Existiria algum segredo por trás daqueles assassinatos?
Gillian Flynn intercala a trajetória detetivesca de Libby com flashbacks dos acontecimentos do dia dos crimes com tanta habilidade que o leitor é levado a diferentes direções. Escrito com primor, Lugares escuros não só mostra como a memória é passível de falhas, mas também evidencia as mentiras que uma criança pode contar a si mesma para superar um trauma.

O que achei da leitura:

Depois dos meus dois contatos com Gillian Flynn, resolvi tentar mais um porque tive duas opiniões distintas a respeitos de duas obras.
Detestei Garota Exemplar e adorei Objetos Cortantes, então resolvi tentar mais uma vez, e acabei a leitura com a sensação de meio amor e ódio, porém resolvi dar um tempo antes de fazer a resenha e meter o pau no livro, e foi bem melhor.
Pensei muito sobre a estória e sua narrativa, e continuo não amando o livro, mas passei a achar legal. Ele tem muitos pontos positivos, como a escrita da autora, que tem o dom de nos fazer "sentir" o livro, porém a autora também constrói personagens nada cativantes e chatos (até as crianças me deixavam estressada), e como não me apeguei a nenhum personagem, eu não tinha vontade de ler o livro porque não queria mais saber muita coisa sobre eles (em Garota Exemplar eu não queria saber mais nada sobre ninguém), mas detesto abandonar livro, e segui com a leitura.




Após ter sua família barbaramente massacrada por seu irmão mais velho, Libby ainda vive dependente de doações recebidas de pessoas que se comoveram com o seu drama, porém esse dinheiro já encontra-se no fim, e ela se vê obrigada a pensar em opções de sobrevivência, e trabalhar não é uma delas porque, aos 24 anos, Libby é uma mulher retraída, que vive em seu próprio mundo, e não consegue se imaginar tendo contato diário com pessoas, impossibilitando-a de procurar um emprego.
Tentando descobrir o que fazer para ganhar dinheiro, Libby recebe uma carta convidando-a para um evento, onde ela receberia por sua participação.
Ao não encontrar outra fonte de renda mais adequada para suas despesas dos próximos meses, Libby resolve se encontrar com o organizador deste evento a fim de decidir sobre sua presença, e descobre que trata-se de um clube de investigadores amadores chamado Kill Club, e ela decide que irá participar e aproveitar para vender algumas lembranças (cartas, bilhetes, fotografias) aos colecionadores do grupo.
Os fãs do Massacre da família Day tem sua própria investigação em andamento, e acreditam que Ben Day é inocente, despertando em Libby muitas dúvidas, e ela começa a pensar que talvez tenha cometido algum erro ao ter testemunhado contra seu irmão.
A fim de ajudá-los com pistas, e receber mais algum dinheiro, Libby junta-se  ao grupo para coletar informações com pessoas relacionadas ao crime, como seu pai e o próprio Ben, que ela não encontra desde o julgamento do massacre.



O livro é dividido em capítulos de Libby Day, Patty Day (sua mãe) e Ben Day (seu irmão), variando entre o momento atual (nos capítulos da Libby), e flashbacks (nos capítulos de Patty e Ben), e gostei muito desse formato.
Somente Libby é narradora em seus capítulos. Nos outros, a narração é feita em terceira pessoa.
Quanto aos personagens, tive pouquíssima empatia com todos eles, mas quase todos têm seus momentos bons, que cheguei a pensar que seria um personagem para se apegar, mas não...rs

Pra quem já leu, me diz aí se a cena com os cachorros de Diondra (a namorada insuportável de Ben) e Trey Teepano, não dá vontade de vomitar? E aí detestei o livro, porque a ânsia de vômito veio pela nojeira e não por uma descrição mega bem feita de algo, no meu ponto de vista.

Enfim, achei o livro OK, com um final que eu adorei e achei absurdamente surpreendente, mas não pretendo reler jamais, então breve ele estará disponível no Skoob para troca :)

Quanto ao filme, tenho que baixar para assistir, mas a escolha de Charlize Theron como Libby, que é descrita como uma  mulher bonita (ok), manca e com 1,50 metros, e  super ruiva, então vou ver e volto para dar uma opinião melhor e dizer se deu certo ;)

Ficou com vontade de ler? Compre AQUI o livro na Amazon e ajude o blog a tomar café ;)


É fã de Gillian Flynn e já me xingou toda? Agora clique AQUI e compre todos os seus livros!

Título Original: Dark Places
Autor: Gillian Flyn
Editora: Intrinseca
Gênero: Ficção Americana
ISBN: 9788580575910
Ano: 2015
Ano de lançamento:  2009
Páginas: 351
Tradução: Alexandre Martins




CONVERSATION

3 comentários:

  1. Oi Michella, tudo bem?
    Eu amei o seu cantinho - já estou seguindo, amei a resenha e amei seu nome também! Estou cogitando a possibilidade de ano que vem usar planner ao invés de agenda, e fiquei encantada com os modelos que você dispõe! Amei também, heheh...

    Beijoooo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras gentis Cecy!
      Até o fim do mês sairá o tamanho A5 também!
      Beijos e volte sempre!

      Excluir
  2. Olá tudo bem? Mandei no seu email um artigo superinteressante sobre Novembro Azul. Publique na primeira semana de Novembro, para obter mais resultado. Caso não tenha recebido é só solicitar. Obrigada

    ResponderExcluir